Problemas causados por defeito nos amortecedores.

postado em 4 de set. de 2017 06:50 por Silvio Luis dos Santos   [ 4 de set. de 2017 06:56 atualizado‎(s)‎ ]


Listamos aqui alguns defeitos causado por deficiência no amortecedor. Qualquer motorista consegue identificar. Veja as dicas:

1. Distância de frenagem

E se seus pneus não conseguem obter uma boa aderência? Conforme as molas/amortecedores se desgastam, o contato da pista com os pneus se torna menos eficiente e o veículo apresenta dificuldades para parar.

2. Mergulho da dianteira


Quando você aplica os freios, os pneus iniciam a parada. Mas a inércia do corpo do veículo tenta mantê-lo em movimento. Como resultado, a dianteira do veículo se rebaixa e a traseira se levanta. Esse desequilíbrio acentuado em carros com amortecedores desgastados causa stress nos freios dianteiros e reduz a eficiência dos freios traseiros. O resultado é uma maior dificuldade de controlar e conduzir o veículo.

3. Rolagem do corpo do veículo

Durante as curvas, o peso do corpo do veículo pende para o lado de fora da curva. Diminuir a velocidade do veículo é únicas maneiras de reduzir esse efeito. Os amortecedores desgastados tornam esse movimento de rolagem do corpo do veículo mais instável e difícil de controlar.

4. Instabilidade na direção

Com amortecedores desgastados, pequenos solavancos e movimentos dos pneus são transmitidos para todo o veículo. Você pode sentir a direção dura, instável ou barulhenta. Esses efeitos abruptos afetam tanto o conforto do motorista quanto o desempenho dos pneus. O resultado é a perda de tração e juntamente com isso, menos satisfação com o veículo.

5. Rebaixamento traseiro no momento da aceleração

Durante a aceleração inicial, quando você sai de uma situação com o veículo parado, a parte dianteira se eleva e a traseira se rebaixa. A elevação da dianteira é controlada pelo amortecimento de rebote efetuado pelos amortecedores. Em um

veículo de tração dianteira com amortecedores desgastados, isso resulta na perda de tração e menor controle da direção.

6. Perda de tração

Pode ocorrer durante a frenagem, aceleração ou durante as curvas. Quando os pneus não conseguem manter o atrito com a pista por alguma razão, o resultado é a perda de controle: quando o pneus estão pulando ou a inércia do corpo do veículo está elevando ou pressionado os pneus para baixo; quando a faixa de rodagem do pneu está desgastada; quando os pneus estão indevidamente calibrados; ou quando as molas e amortecedores estão desgastados e não controlam com eficiência os movimentos dos pneus ou do corpo do veículo.

7. Choque dos batentes

As reações a solavancos são normais. Mas quando o pneu consegue reagir ao extremo e se mover para cima de forma muito agressiva, essa ação deve ser interrompida pelo batente do amortecedor. Esse fenômeno é uma indicação de que ou veículo está sendo operado além de sua capacidade normal, como com sobrepeso, ou está sendo conduzido de maneira muito agressiva. Ou isso pode significar também que os amortecedores estão desgastadose não conseguem resistir adequadamente aos movimentos da roda.

8. Guinadas

Movimentos excessivos para a direita ou para a esquerda; rajadas de vento, condições da estrada e movimentos do volante. O amortecedor ou a mola controlam o movimento de compressão (ou extensão), enquanto os amortecedores do lado oposto estão controlando um movimento de rebote (para cima). São necessárias correções da direção e, conforme as condições do amortecedor pioram, a dificuldade cresce ainda mais.

9. Deformação dos pneus

Quando o pneu fica livre para se mover para cima e para baixo excessivamente, um movimento rítmico se desenvolve e dá início a um padrão de desgaste com espaçamento uniforme. Diferentemente das condições de um pneu balanceado, a frequência do padrão de desgaste é maior em pequenos movimentos do pneu que não estão sendo amortecidos por molas ou amortecedores desgastados. Conforme a condição se agrava, ocorrem ruídos e a perda de tração além, claro, do desgaste do pneu.



fonte: http://www.kyb.com.br


Comments